Publicada em 18 de Junho de 2011 ás 13:52:00
Share
EXAME ANDROLÓGICO EM CÃES E GATOS, PORQUE FAZER?
PROIBIDO!!!

      Ainda pouco usado na clínica de pequenos animais, porém, no caminho certo para conquistar um amplo mercado, a reprodução assistida e IA (Inseminações Artificiais) em cães, dependem de um pré-requisito, que é o exame andrológico, para o diagnóstico de aptidão do animal à gerar bons descendentes.
O exame andrológico é utilizado para avaliar todo o organismo do animal, desde aspectos comportamentais e físicos até o trato reprodutivo propriamente dito. Todos os fatores relacionados ao animal devem ser levados em consideração, para que nenhum problema aparentemente isolado não passe por despercebido.
Além da anamnese e testes físicos por palpação, exames laboratoriais também fazem parte desse exame, podendo apontar alguma alteração sistêmica no animal.
Nos exames de palpação do sistema reprodutivo do animal é necessário que o profissional tenha um amplo conhecimento prévio e experiência, uma vez que são pequenas características que apontam o diagnóstico. Os órgãos palpados no exame físico são: bolsa escrotal, testículos, epidídimo, pênis e glândula prostática.
Bolsa escrotal: deve ser esparsamente recoberta de pelos, com espessura uniforme, sendo relativamente fina e macia ao toque e apresentando-se móvel em relação aos testículos;
Testículos: Por volta da sexta semana de vida, os testículos do cão já são facilmente palpáveis e neles devem ser observados o tamanho e a firmeza, porém deve ter a consistência macia;
Epidídimo e cordão espermático: o epidídimo deve estar dorsalmente fixado ao testículo, com a cabeça e cauda localizadas nos pólos crânio- caudal, além da sua espessura, que deve ser normal, não indicando aumento de volume;
Pênis e prepúcio: o pênis deve ser facilmente removido do prepúcio e completamente exposto. O prepúcio deve ser tracionado e o bulbo da glande exposto. A presença de secreções purulentas ou sangue podem indicar infecções e outras doenças.
Glândula prostática: observação do tamanho, consistência e simetria entre os dois lobos da mesma.
Uma outra regra, valendo para todos os órgãos, em qualquer manifestação de dor no animal deve-se dar mais atenção.
Um dos problemas mais comuns diagnosticados por exame andrológico é o Criptorquidismo, que é deiscência incorreta dos dois testículos para o exterior da cavidade abdominal, dentro da bolsa escrotal. Outras anormalidades que podem ser diagnosticadas são: orquite aguda, toção testicular, além de sugerir doenças mais graves como degeneração testicular e orquite.

Fontes: Revista Veterinária

 

Atenciosamente,

 

 



Andréia Castro

 

 

Leia Também

 

Email: apvisab@debasil.com.br

Debasil - Todos os direitos reservados